Navegar para Cima


Busca Ok A+ | A-

SAID-Serviço de Atenção Integral ao Dependente

 13/08/2010


O Serviço de Atenção Integral ao Dependente (SAID) é um centro para o tratamento gratuito e intensivo de dependentes químicos.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) entregou, no dia 11 de agosto, em parceria com o Hospital Samaritano, a totalidade do Serviço de Atenção Integral ao Dependente (SAID), localizado na Avenida Almirante Delamare 3.033, zona sul da capital.
“O SAID é a primeira clínica pública para tratamento ao dependente, e a Secretaria Municipal da Saúde fica satisfeita em disponibilizar mais uma unidade, que vem complementar o trabalho de uma equipe que, desde 2005, ampliou a rede de atendimento na área de Saúde Mental, Álcool e Drogas”, comenta Januario Montone, secretário Municipal da Saúde de São Paulo.

Em seus 7 mil m² de área, estão distribuídos 80 leitos: 14 na ala Adulto Feminino, 26 na Adulto Masculino, 16 na Adolescente Masculino, 16 na Unidade Feminina Infância e Adolescência  e 8 leitos na Infantil. A primeira etapa foi inaugurada em fevereiro deste ano com a entrega de 20 leitos na ala Masculino Adulto. Além das áreas específicas voltadas para o tratamento da dependência, o SAID conta com consultórios para atendimento odontológico e ginecológico; quadras poliesportivas, oficinas terapêuticas, salas de aula e de atividades em grupo. Em seus cinco meses de atuação, o SAID contabilizou  59 atendimentos; desse total, 19 pacientes continuam em tratamento.

O SAID é a segunda unidade, nesta área, sob gestão do Hospital Samaritano, unidade que utiliza o método da Chestnut Health Systems. No ano passado, foi inaugurado o Projeto Jovem Samaritano, voltado exclusivamente para rapazes com idade entre 14 e 18 anos. Situado em Cotia, foi implantado em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo.

Ação Integrada Centro Legal  
 

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) tem atuado de maneira estratégica, oferecendo assistência ao usuário de drogas lícitas e ilícitas, como no caso da região central de São Paulo, na Nova Luz. Há um ano, agentes comunitários da Estratégia Saúde da Família (ESF), em conjunto com equipes de assistentes sociais, têm realizado abordagens aos usuários de drogas que vivem no local.

O objetivo é vinculá-los aos serviços de saúde para realizar tratamento e abandonar o vício das drogas. Quando o paciente aceita ser avaliado, o encaminhamento se dá por meio de triagem de um grupo de enfermeiros e médicos psiquiatras. Cada caso é analisado para que sejam atendidas a todas as necessidades clínicas desses pacientes. Se algum morador em situação de rua é encontrado em condições graves, essa rede conta também com duas ambulâncias do Serviço Móvel de Urgência (SAMU), que poderá encaminhá-los a nove hospitais da região, que também fazem parte da estrutura de atendimento aos dependentes.

Caso necessite de cuidados ambulatoriais, o paciente dispõe de cinco serviços na região: Assistência Médica Ambulatorial (AMA) Sé, AMA Boracéa, Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS) Álcool e Drogas Sé, CAPS Infantil Sé e Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (CRATOD) – este último pertencente à rede estadual de saúde. Esse trabalho faz parte da Ação Integrada Centro Legal e é uma parceria entre a Prefeitura de São Paulo, Governo do Estado, Poder Judiciário, Ministério Público e sociedade civil, para recuperar o centro da capital paulistana.

O último levantamento realizado referente à Ação Integrada Centro Legal, no dia 26 de  julho de 2010 (a ação teve início no dia 22 de julho de 2009), registrou  99.613 abordagens e 5.399 encaminhamentos de usuários às unidades de saúde.

Saiba mais sobre o SAID


Voltar

Deixe seu comentário

 
 
 
0 Caracteres Digitados | Restam 1024

Comentários

Por: Mauro 03/02/2012 às 6:35
Em primeiro lugar parabéns a todos pela ação humanitária de ajudar os necessitados. Tenho um irmão que é usuário de drogas e atualmente é morador de rua e necessita de ajuda. Ele tem 34 anos e pediu que eu ajudasse arrumar uma clinica para ele se tratar e sair da situação e de não usar mais produto químico. Tenho constantemente procurado na net alguma clinica, mas não tenho encontrado até que encontrei voceis, pois não temos condições financeira. Eu moro na região de Embu das Artes e ele em Santo Amaro (ponte do socorro). Como eu disse é morador de rua não tem documentos e vive em péssima situação, assim como tantos outros. Como pademos fazer para conseguir uma vaga de internação ai? Caso positivo, com os dados dele e os dados de seus documentos eu consigo internar? Por favor me ajuda não sei mais a quem recorrer e não tenho mais alternativa. Aguardo retorno. Obrigado.
Assessoria de Comunicação

Prezado Mauro,

O Hospital Samaritano inaugurou em 2010, em parceria com a Autarquia hospitalar Municipal da SMS, um centro para o tratamento intensivo de dependentes químicos para homens, mulheres, adolescentes e crianças a partir de seis anos – o Serviço de Atenção Integral ao Dependente (SAID). Para ingressar no SAID o paciente precisar ser indicado pela Ação Integrada Centro Legal, através da Secretaria Municipal da Saúde que tem atuado de maneira estratégica, oferecendo assistência ao usuário de drogas lícitas e ilícitas. Caso necessite de cuidados ambulatoriais o senhor poderá procurar ajuda em qualquer CAPS – Centro de Atenção Psicosocial ou no CAPS mais próximo a sua residência. Segue os endereços: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/arquivos/saudemental/CAPS_end.pdf . Outra opção, dependendo da região de sua residência, o senhor pode procurar os CAPS -AD (Álcool e Drogas) e mesmo os serviços de emergência (AMAS e PSs) para melhor orientação.

Atenciosamente.

Por: Marco Antonio Félix 26/01/2012 às 9:22
Meu amigo ficou internado 90 dias no SAID Heliopolis saiu no final de novembro de 2011, o tratamento foi ótimo, mas logo na primeira semana de alta começou a usar constantemente maconha e enfim recaida ao crack. Hoje ele virou um morador de rua vive em um local frequentado por usuários de crack. Ele estava em acompanhamento no CAPS de Guarulhos abandonou o tratamento. Que posso fazer agora para tira - lo da rua e que ele volte ao tratamento? será que existe ainda possibilidade de retorno sendo que o estado dele está grave? ha possibilidade de uma nova internação via judicial? agradeço se possivel me derem uma luz a respeito, pois gostaria muito de ainda ajuda - lo muito obrigado Marco Antonio
Assessoria de Comunicação

Prezado Marco, boa tarde!

O Hospital Samaritano de São Paulo agradece a confiança depositada nesta instituição de 118 anos de atividades na área da saúde. Quanto ao seu questionamento encaminhado para o nosso Portal Corporativo,
A primeira conduta a ser tomada é procurar o CAPS onde ele iniciou o tratamento e saber se há algum dado complementar para o abandono do tratamento.
Como o SAID é unidade referenciada em São Paulo, pacientes que vem ao SAID vem por indicação  / encaminhamento das Unidades de Saúde de São Paulo, sendo que em Guarulhos o encaminhamento deva ser semelhante, mas referenciado aos serviços existentes no local.  Qualquer paciente que já esteve em tratamento no SAID pode retornar, desde que venha com encaminhamento adequado. O que sugerimos é procurar a Coordenação de Saúde Mental Álcool e Drogas de Guarulhos, explicar a situação e verificar a possibilidade de melhor auxílio no encaminhamento para este paciente.

Esperamos ter lhe ajudado!

Atenciosamente.

Por: HELOISA SANTANA 09/01/2012 às 12:53
Gostaria de mais informações sobre internação. 11 -60863670
Assessoria de Comunicação
Prezada Heloisa,
O Hospital Samaritano de São Paulo agradece a confiança depositada nesta instituição de 117 anos de atividades na área da saúde. Quanto ao seu questionamento encaminhado para o nosso Portal Corporativo, o telefone de contato do SAID (Serviço de Atenção Integral ao Dependente) é: 2219-2700.
Entre em contato com eles e eles te orientarão como proceder a internação.
Atenciosamente.
Por: Daiza 01/10/2011 às 15:31
Como inscrever um paciente?
Assessoria de Comunicação
Prezada Daiza,
 
Para saber mais informações sobre esse projeto ligue para (11) 22192700.
Agradecemos o seu contato.
 
Atenciosamente.
Por: Paulo Cesar Soares 20/09/2011 às 6:08
Simplesmente excelente e necessário infelizmente isso é uma doença
Assessoria de Comunicação
Prezado Paulo,
 
Agradecemos o seu retorno e continue navegando em nosso site!
 
Atenciosamente.
Por: ana omes da silva 08/09/2011 às 14:33
tô triste com o said pois derâo alta pra minha filha com apenas 8 dias de internaçâo e agora ela voltou pras ruas obrigado
Assessoria de Comunicação

Prezada Ana,
 
O Hospital Samaritano de São Paulo agradece a confiança depositada nesta instituição de 117 anos de atividades na área da saúde. Quanto ao seu comentário enviado para portal da Instituição, a equipe do Serviço de Atenção Integral ao Dependente – SAID – esclarece que o tratamento aplicado pelo projeto não se restringe apenas ao período de internação, mas também engloba um acompanhamento pelos equipamentos de saúde da prefeitura de São Paulo, como os que são oferecidos pelos CAPS – Centros de Atenção Psicossocial. Informamos que a paciente em questão foi encaminhada para este tratamento pós-internação, com orientações dos profissionais do SAID.

Atenciosamente,

Por: Rogerio Cirelli 23/08/2011 às 11:08
Boa tarde! Voces citam uma internação de 1 a 3 meses, mas no caso de o paciente não ter condições de ser reintegrado dentro desse período é possível a internação se estender por mais tempo? Grato
Assessoria de Comunicação
O Hospital Samaritano agradece a confiança depositada nesta Instituição de 117 anos. Quanto ao seu questionamento encaminhado por meio do Fale com Especialista, de acordo com o médico psiquiatra e diretor técnico do SAID, Dr. Pedro Katz a ideia é a de que o processo de reintegração social e alta seja desencadeado já no primeiro dia de internação por extenso  questionário diagnóstico (clínico social e de condições educacionais / profissionais) e que é repetido intensivamente durante o período de permanência do paciente na unidade.O período de um a três meses, variando de acordo com o projeto terapêutico individualizado a cada paciente é definido por modelo técnico que envolve etapas e fases sendo conduzido pelo que chamamos de técnica de  manejo de caso e plano de metas. Todo o plano de tratamento  envolve obrigatoriamente a participação de familiar /cuidador). Portanto a definição sobre as condições de reintegração social são definidas por equipe multiprofissional, respeitando as características e propostas do serviço.Finalmente cabe esclarecer que a internação isoladamente não significa tratamento, sendo apenas uma parte do processo de recuperação.
Por: Jennifer Magalhães 22/08/2011 às 11:13
Venho atrás desta , para agradecer a Clinica de recuperação SAID pois eu estava me recuperando nela , eu era uma paciente , sou ex usuaria de droga e essa internação pode me mostrar que as drogas não nos oferece nada de bom que acaba com a nossa vida que a felicidade é momentania não dura pra vida toda , lá dentro da clinica parei pra pensar na minha vida em tudo que fiz e hojê me arrependo muito , mais graças a deus e o said e minha familia mudei totalmente minha vida e hojê sou uma nova pessoa com uma otima saúde . Agradeço a todos profissionais que me ajudaram estou muito FELIZ Beijos
Assessoria de Comunicação
Prezada Jennifer,
 
Agradecemos a sua manifestação.
 
Atenciosamente,
Por: JULIANA PORFIRIO 14/08/2011 às 4:23
Bom dia, sou enfermeira há quase 10 anos trabalhando com PSF. Faço especialização em Saúde Mental e Psiquiatria e gostaria de saber como posso enviar meu curriculo para trabalhar no SAID? Atenciosamente, Juliana Porfírio 6252-23-78
Assessoria de Comunicação
Prezada Juliana,  
Agradecemos o seu contato.
Todos os CV´s devem ser cadastrados no seguinte link: http://www.samaritano.org.br/pt-br/trabalhe-conosco/Paginas/default.aspx
Atenciosamente,
Por: Celia Regina Veronez 10/08/2011 às 6:01
Estou sem sber o que fazer, essa é a realidade, meu filho de 20 anos, tem já algum tempo demonstrado comportamento estranho, já não liga mais p banho, emagreceu muito, dorme o dia inteiro , e passa noites na rua, Começamos a questioná-lo quqnto ao uso de drogas e ele nega, em determinada ocasião, até disse que havia feito uso de alguma dessas drogas, mas não mais estava usando, sou separada do pai dele, apesar de não estarmos juntos ele sempre está presente, só que não acredita que o filho faz uso, não acredita ou tem medo de ter a certeza! O que faço, tem alguma acompanhamento para os pais também? Onde devo procurar? Obrigada!!!
Assessoria de Comunicação
Prezada Celia,
 
Agradecemos o seu contato. De acordo com o Dr. Pedro Katz, médico psiquiatra do Hospital Samaritano as alterações de comportamento sem causa aparente devem ser sempre bem avaliadas.O comportamento descrito é compatível com algumas situações, dentre elas o envolvimento / dependência com drogas ilícitas. Além disto há o relato de contato anterior com tais drogas. Há a questão de não assumir ou admitir a dependência atual em se tratando esta situação de envolvimento com drogas. Existem algumas possibilidades de auxílio inicial para orientação e forma de abordagem adequadas à pessoa em tal situação.No serviço público a primeira providências pode ser procurar um CAPS – AD ( Centros de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas) mais próximos de sua casa e agendar com o Serviço social / Psicologia para atendimento do familiar.Outra possibilidade é procurar grupos de auto ajuda  NA – ( Narcóticos Anônimos) e / ou  Amor Exigente (também com realização em diversos locais), sendo estes, grupos que atuam na orientação e encaminhamento de familiares de forma bastante efetiva.
123