Navegar para Cima


Busca Ok A+ | A-

Saiba quais são os tipos de hepatites virais e como preveni-las

 26/04/2013


Doença silenciosa, que compromete várias funções do fígado, vitima 33 mil brasileiros por ano


Considerada um grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo, a hepatite é a inflamação do fígado e pode ser causada por vírus, consumo de álcool e drogas, uso de alguns tipos de remédios, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas.
 
Existem cinco tipos de vírus causadores da hepatite: o A, B, C, D e E. No Brasil, porém, os casos mais comuns são os tipos causados pelo vírus A, B e C. Os tipos D e E são mais frequentes no continente africano e asiático. No Brasil podem ser registrados nas regiões norte e nordeste, devido a falta de saneamento básico em alguns locais.
 
As hepatites virais tem como sintomas mais frequentes o cansaço, tontura, enjoo, febre, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. Os sintomas, no entanto, muitas vezes não são facilmente identificados, dificultando o diagnóstico da doença, que é confirmada por meio de exames de sangue específicos. “A incidência da hepatite ainda é grande no Brasil e o grande problema é que seus sintomas não são tão facilmente identificados”, destaca a Dra. Cátia Rejania Ribeiro de Melo, coordenadora do Núcleo de Gastroenterologia do Hospital Samaritano de São Paulo.
 
A hepatite tipo A é transmitida por meio da ingestão de alimentos contaminados com fezes infectadas pelo vírus. O tipo B é transmitido por meio de contato com sangue de uma pessoa que tenha a doença, relação sexual sem uso de preservativo ou de mãe para filho, por meio do cordão umbilical. O tipo C é transmitido somente por meio do sangue contaminado com o vírus.
 
Levantamento realizado pelo Ministério da Saúde indica que cerca de 33 mil novos casos de hepatites virais são registrados no País. O maior número de infecções entre 1999 e 2011 é de hepatite B, que atingiu 120 mil pessoas.

No mundo a hepatite C é a que mais acomete as pessoas, aproximadamente 3% da população mundial, 170 milhões de pessoas, são portadores do tipo da doença.  “A hepatite C é considerada a principal causa de transplante de fígado em países desenvolvidos e responsável por cerca de 60% das hepatopatias crônicas”, ressalta Dra. Cátia.

A especialista explica que todos os tipos de vírus causam um quadro de hepatite aguda e, os tipos B, C e D, se  não tratados corretamente, podem evoluir para cirrose, mau funcionamento do fígado e câncer hepático, além de infecção crônica e prolongada.

Algumas atitudes simples, porém, podem ajudar na prevenção da doença. Manter as mãos sempre limpas e higienizadas previnem a hepatite A. Já a hepatite B e C podem ser evitadas com o uso de preservativos durante as relações sexuais, além de evitar o compartilhamento de seringas e contato com sangue. “ A hepatite B é a única que tem uma vacina de prevenção. Ela foi criada em 1982 e, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, é eficaz em 95% dos casos. Mais de um bilhão de doses da vacina já foram utilizadas em todo o mundo”, conclui Dra. Cátia.

 

 
 
 
 
 

​ 


Voltar

Deixe seu comentário

 
 
 
0 Caracteres Digitados | Restam 1024