Navegar para Cima


Busca Ok A+ | A-

Qual a diferença entre a hepatite A, B e C?

 28/04/2008


Qualquer tipo de inflamação no fígado é provocada por substâncias químicas e/ou microorganismos é denominada hepatite.

Qualquer tipo de inflamação no fígado é provocada por substâncias químicas e/ou microorganismos é denominada hepatite. Os vírus que provocam a doença atacam o órgão de forma diferente, recebendo a denominação de A, B e C. Apesar do nome bastante parecido, cada um destes vírus age de forma singular no que diz respeito a sua gravidade e tratamento.
 
A hepatite A tem contágio por via oral, em especial, provocado por alimento ou água contaminado. O período de incubação é de duas a seis semanas. Boa parte dos pacientes não apresenta sintomas ou os confunde com um quadro de gripe. A hepatite A não se torna crônica e raramente é fulminante. O tratamento é baseado em medidas de suporte, sendo orientado repouso. As medidas gerais para a prevenção da hepatite A são de higiene. Na maior parte dos casos deste tipo da doença há cura espontânea. Além disso, já conta com uma vacina eficaz.
 
A hepatite B é transmitida por meio de sangue e contato sexual. O vírus VHB é extremamente resistente, podendo viver em ambiente externo por até sete dias e com risco de, em contato com sangue, levar a infecção de pessoas não vacinadas. Os sintomas são iguais ao da hepatite A. A doença pode se tornar crônica em até 10 por cento dos pacientes. O tratamento da hepatite B crônica visa combater a replicação viral e reduzir as lesões no fígado. Este tipo de hepatite também conta com vacina efetiva.
 
Naturalmente, como apresentam os mesmos modos de transmissão, os portadores da hepatite B correm o risco de terem contraído outras doenças, como a hepatite C e o vírus HIV.

Voltar

Deixe seu comentário

 
 
 
0 Caracteres Digitados | Restam 1024